No ano passado, Hood recebeu a visita de um animal bastante inesperado em sua casa: um sapo, que entrou em sua casa como se fosse parte da família e não hesitou em instalar-se definitivamente.

Hood poderia ter escorraçado o bichinho, mas ao invés disso, decidiu oferecer-lhe uma moradia ‘fixa’ – um sapato, cujo tamanho parecia ter sido feito para ele.

O sapo evidentemente gostou tanto daquela primeira noite que decidiu ficar. A cada dia, a partir daí, após o pôr do sol, ele comia insetos na varanda de Hood e em volta dela.

Como virou uma figura carimbada por lá, Hood batizou o sapo de “Jabba the Toad”.

“Comecei a deixar a luz acesa para atrair insetos para Jabba”, disse Hood ao portal The Dodo.

Quando a barriga estava cheia e precisava descansar, Jabba sempre tirava um cochilo no sapato de corrida de Hood, que ela passou a deixar na varanda. Ter um sapo ocupando seu sapato significava que ela não poderia usá-lo, é claro. Mas tudo bem, a jovem nem se importou.

“Doar meu sapato não foi grande coisa”, garantiu. “Se isso oferecia conforto ou proteção a ele, por que não?”

Jabba, sem dúvida, apreciou a hospitalidade de Hood – e claramente não se esqueceu disso. Meses depois, com o fim do verão, Hood observou Jabba ir embora de sua casa para não voltar maias, entrando numa floresta próxima provavelmente para hibernar durante os meses mais frios.

O sapato de Hood estava livre para seu pé pela primeira vez em meses – mas não ficaria sem sapo para sempre.

Na primavera seguinte, Jabba voltou.

“Uma manhã, lá estava ele no meu sapato”, disse. O segundo verão de Jabba em casa com o sapato de Hood transcorreu como o primeiro. Mas houve um pequeno incidente. Aparentemente, nem todos sabiam da amizade de Jabba e Hood.

“Um amigo bem-intencionado pegou meus sapatos e colocou Jabba no canteiro de flores”, disse Hood. “Eu coloquei meus sapatos de volta e, decidido, Jabba estava de volta mais tarde naquela noite.”

Hood até colocou uma placa acima dos sapatos, só para ter certeza de que não haveria mais despejos desnecessários.

Como o primeiro, o segundo verão de Jabba no sapato finalmente chegou ao fim. Um dia, ele simplesmente se levantou e saiu.

Hood não tem certeza se ele estará de volta no próximo ano, mas de qualquer forma, suas memórias de Jabba sempre permanecerão.

Embora a mulher provavelmente nunca tenha imaginado que seria anfitriã de um sapo, indo além no processo, Jabba era mais do que apenas um sapo vivendo em seu sapato. “Fiquei grato e feliz por ter uma amizade com Jabba”, disse Hood. “Todos nós fazemos parte da teia da vida e, em dias bons, estamos todos aqui uns para os outros.”