Cuidados redobrados com a higiene do seu animal é muito importante nesta fase da pandemia, principalmente se o seu animal convive com você dentro de casa.

Muito embora, não existam evidências científicas de que animais domésticos como cães e gatos, sejam infectados pelo novo coronavírus e muito menos possam ser portadores da
doença, é recomendável hábitos como lavar as mãos regularmente e evitar locais com aglomeração de pessoas, esses são dois dos conselhos fundamentais da Organização Mundial de Saúde.

“Não há nada comprovado cientificamente. Tudo o que existe são boatos, rumores” conform e disse Joel Tsou, médico veterinário de animais domésticos, que possui clínica no Porto. Ele ainda destaca que “o que realmente é fidedigno é que o vírus é transmitido entre humanos e não entre animais ou de humanos para animais”. “É o que se sabe até ao
momento”.

 

 

“Os donos de animais abandonam os seus animais na porta da clínica”. Porém, Joel afirma que recentemente na sua prática clínica “nesta época de surto” não têm aparecido animais em situações relacionadas com o Covid-19, o que é uma boa notíci a e demonstra a responsabilidade e consciência dos proprietários de animais e ainda acrescenta, que “há um plano de contingência a vigorar nas clínicas que não permite a entrada de pessoas”.

Para tranquilizar a sociedade, a Ordem dos Médicos Veterinários publicou no seu site importantes informações em que relata os cuidados com os animais, escrita pela
Associação Mundial dos Veterinários de Pequenos Animais (AMVPA). O documento frisa principalmente que não há evidências de que os animais domésticos possam ser infectados e muito menos disseminam o Covid-19. “Esta é uma situação em rápida evolução e as informações serão atualizadas à m edida que estiverem disponíveis”, escreve a associação.Embora o Covid-19 tenha tido origem nos animais, avança a AMVPA, ” agora transmite-se de pessoa a pessoa”.

Se, por ventura, os proprietários estiverem doentes com a Covid-19, “devem evitar o contacto com animais em sua casa, incluindo acariciar, aconchegar, ser beijado ou
lambido e compartilhar alimentos. A AMVPA aconselha que “os donos evitem o contacto com animais com os quais não estão familiarizados e que lavem sempre as mãos antes e depois de interagirem com os animais”. Se precisam de cuidar do seu animal de estimação ou estar perto de animais enquanto estiver doente, devem lavar as mãos”.

 


Gostou da matéria? Compartilhe este artigo. Isso nos ajuda a espalhar bons conteúdos nas redes sociais. Obrigado!