Cachorros que foram envergonhados em público por seus pequenos delitos

ANÚNCIO
ANÚNCIO

Cachorros são os melhores amigos do homem, são companhias incríveis e muito leais. Gostam de ficar ao lado de seus donos, gostam de pedir carinho e comida quase o tempo inteiro. Precisam passear para fazer atividade física básica e também para não fazer cocô dentro de casa (para quem mora em casa sem área externa ou em apartamento). Mas temos que relembrar que nem tudo são rosas e que cachorros podem ser bem “chatos” e seus donos tiveram uma ideia hilária para expor os pequenos delitos desses rebeldes. A galeria de cachorros que temos hoje é justamente sobre isso, não perca!

ANÚNCIO

Karma

Quem nunca passou pela frente de uma casa e se deparou com aquela tão conhecida plaquinha que enfeita inúmeras fachadas que carrega as seguintes palavras: “Cuidado! Cão Bravo.” Em um esforço de afastar qualquer intruso em sua propriedade, as pessoas constantemente instalam essas placas para escancarar essa vontade. Na situação abaixo, eles resolveram lidar de uma maneira bem diferente.

ANÚNCIO

Traduzido, fica assim “Que o Karma nunca morda seu bumbum” // “Eu sou o Karma”.

A gente adorou!

ANÚNCIO

Malcriado?

Se tem uma coisa que difere os humanos do resto dos animais, essa coisa se chama higiene! Quando se trata de humanos que residem em lugares quentes, esse hábito é levado ainda mais a sério. Já no caso dos cachorrinhos, bem, podemos dizer que eles não tomam banho todos os dias e nem escovam os dentes com tanta frequência quanto nós.

A plaquinha carrega a seguinte frase: “Eu gosto de soltar meu bafo no Ben enquanto ele está jogando videogames”.

ANÚNCIO

Ah, Ben…ele não fez por mal poh! Ele só queria atenção, né?

Bem malcriado!

Dizer que cachorros malcriados existem não soa como novidade para ninguém! E como já deu para perceber, esta galeria de imagens trata especificamente deles! Seja por ciúme ou por descuido, esses dois companheirinhos protagonizaram uma situação triste e igualmente engraçada.

As plaquinhas dizem: “Eu fiz xixi no filhote”, na plaquinha da esquerda, enquanto que na plaquinha à direita podemos ler: “Duas vezes (uma delas foi na minha cabeça).

Coitadinho do filhote! 😀

Maníacos do sorvete

Cachorros tem um apetite que abrange preferências não tão normais, se comparadas às preferências dos humanos. Quem tem cachorro sabe muito bem que deve se ter cuidado com chinelos, pés de cadeira, cantos, papel, sofá e mais um monte de objetos que se tornam vítimas das presas dessas ferinhas caninas.

Na foto temos a confissão de um pequeno delito: o primeiro tem escrito na plaquinha “Eu comi tudo…de novo” e o segundo diz: “E eu ajudei”.

Quanta traquinagem!

Outro viciado em sorvete

E pelo visto, a carinha de fofo não é sinônimo de bom comportamento. O pug que está posando para essa foto, com carinha de bom moço ou moça, não sabemos, pode ser acusado do delito de comer aquilo que não lhe foi oferecido, como bem podemos comprovar com o pote de sorvete vazio e a plaquinha rosa logo ao lado, que está preenchida com as seguintes palavras traduzidas:

“Eu comi todo o sorvete da mamãe”

Pequeno grande delinquente

Pinscher é uma raça de muita popularidade ao redor do mundo, já que o tamanho reduzido desses cachorros é a causa de tamanha adoração pelos donos. Eles são extremamente companheiros e igualmente sentimentais, além de verdadeiros protetores, mesmo que o tamanho não transmita tão bem esta mensagem. De acordo com esse pinscher, podemos dizer que eles também são bagunceiros, pois a plaquinha diz:

“Eu estraguei um monte de calcinha e comi mais cocô de gato do que ração”.

O Adorador

Este catioro da foto, que não sabemos se é um menino ou uma menina, mas isso nem importa muito pois o que está em questão é o seu comportamento um tanto quanto estranho, provavelmente decorrente de sua carência que beira o nível extremo já que de acordo com sua plaquinha:

“Minha mãe nunca pode dormir, se ela tentar, eu vou ficar perto dela e ficar encarando ela com esse nível de intensidade”.

Podemos perceber que se trata de um delinquente sim, mas um delinquente do amor.

O bobo

Bulldogs são outra raça que tiveram uma curva de popularidade acentuada e no final das contas, é praticamente impossível resistir a esses olhos gigantes e esbugalhados que nos olham com uma expressão que mistura carência e misericórdia. Mas não se engane por essa carinha, já que o pequeno delinquente da foto tem seus crimes confessados com os dizeres da plaquinha:

“Eu gosto de fazer xixi na vasilha de água no parquinho de cachorro porque eu sou um idiota”

Tamanho não é documento

Aqui temos provavelmente um cachorro da raça ‘Boxer’ (caso não seja, por favor nos corrija!) que mostra que tamanho não é sinônimo de valentia nem confiança. Esses cachorros de grande porte na maioria das vezes só passam a ideia de que são durões, mas na verdade são verdadeiros brincalhões e muitas vezes espantados, como esse da foto que carrega uma plaquinha dizendo:

“Gatinhos arrepiam até o cabelo do meu suvaquíneo”. Iti malia!

Livin’ la vida loca

Huskies siberianos são cachorros que se parecem lobos e essa é uma característica que cativa muitos de seus donos na hora de escolher um cachorro para dividir a vida. Enquanto uns são extremamente pacíficos, outros gostam de viver a vida adoidado, como esse da foto que, claramente não possui juízo na cabeça, resolveu cometer uma loucura.

A plaquinha diz: “Eu pulei de um carro em movimento pra correr atrás de um monte de pássaros que voaram”.

O inocente

Se eu chegasse em casa e me deparasse com uma situação dessas, seria difícil segurar o riso. Olha bem a carinha dessa criaturinha, com esse olhar que clama piedade e que tenta esconder toda a malcriação que está exposta pelo papel higiênico que o envolve como praticamente uma múmia!

A plaquinha diz “Inocente até que provem ao contrário”.

É difícil castigar um cachorro que te olha desse jeitinho.

Carente, mas sério

Esse é um cachorro da raça Weimaraner, que foi criada na Alemanha como uma raça para cães de caça para animais de tamanhos variados, como ursos e veados. A cor característica da raça não tem um motivo conhecido, mas é característica desde o seu início. Anos depois de sua criação, hoje em dia eles são mais caçadores de atenção, já que sua plaquinha diz:

“Eu fico sentando encarando as pessoas, deixando elas muito desconfortáveis”

Peludos e Aloprados

Como diz aquele ditado né: “Um é pouco, dois é bom, três é demais!” Este trio de cachorros felpudos confirma muito bem esse ditado. Imagina dar conta de três peludos como os da foto? Pelo visto eles também bastante energia, já que pela placa podemos ler:

“Eu comi os sapatos que a mamãe mais gosta” na placa laranja, enquanto que a placa ao lado diz “Eu encorajei ele” e por último (e o mais fofo), o menor confessa: “Eu gosto de bacon”. 😀

O fã de Subway

Quando você chega em casa e se depara com a seguinte cena, pode saber que tem alguma coisa errada pelo olhar clamando por misericórdia do cachorrinho da foto. Por mais fofo que seja, a carinha que ele faz é na verdade um esforço para disfarçar seu delito.

A plaquinha diz: “Eu gosto de comer o colchão de yoga da mamãe quando ela não guarda ele. Não consigo me conter, porque o gosto é igual ao de um sanduíche do Subway”.

Carência sem limites

O fato de cachorros não terem discernimento sobre o significado de muitos objetos do nosso cotidiano, situações muito engraçadas e embaraçosas podem ocorrer por causa disso.

A plaquinha deste cachorro diz: “Eu destruí o vibrador favorito da mamãe e o outro também. Ela não pode amar nenhuma outra coisa senão eu”.

Imagina chegar em casa acompanhado de uma visita e se deparar com seu cachorro com um vibrador na boca? Definitivamente não é o que ninguém quer que aconteça! 😉

Guloso e obediente

Como já vimos ao longo desta galeria de delinquentes felpudos, quando a carinha é de misericórdia e fofura, coisa errada é o que não falta. O sonho de muitas pessoas é um cachorro comportado, que atenda aos comandos de seu dono e que seja “bem educado”. Já os cachorros, espertos que são, usam isso como moeda de troca, exatamente como esse cachorro da foto fez, já que a plaquinha diz:

“Eu me finjo de morto mesmo que ninguém peça porque eu fico esperando por petisco. Eu sou muito dramático e guloso”.

Afrontosa

Enquanto alguns tentam ganhar o que estão querendo pelo amor, outros tentam encurtar esse caminho pela dor. Foi o que essa cadela afrontosa da foto abaixo fez. Repare no olhar de misericórdia que mistura um deboche e enfrentamento ao olhar para a dona. Seria ela da família da rainha do deboche? Parentescos a parte, ela teve seu crime exposto com os seguintes dizeres da plaquinha:

“Ela me colocou de dieta e aí eu comi o sapato dela”.

A dieta realmente precisava, já esse delito, não.

Protetor

Quando dizemos que os cachorros são os melhores amigos do homem, não é em vão. São milhares de anos em que estas criaturinhas passaram ao lado de seus donos e vice-versa, transbordando companheirismo, cuidado e proteção. Até hoje essas características prevalecem, mas como no caso da foto, elas podem não sair tão bem quanto o esperado.

“Eu achei que tinha ouvido um rato” é o que diz a plaquinha e que tenta justificar o estrago feito.

“Eu tentei comer Jesus”

Como dissemos anteriormente, pelo fato dos cachorros não entenderem os significados que alguns objetos carregam, isso abre margem para o surgimento de diversas situações engraçadas, como a da foto abaixo em que o cachorro em questão tentou comer a imagem de jesus!

De qual imagem gostou mais? Deixe sua opinião nos comentários abaixo!

Gostou da matéria? Compartilhe este artigo. Isso nos ajuda a espalhar bons conteúdos nas redes sociais. Obrigado


Fonte: Para os curiosos