Soldado canadense resgata e adota chimpanzé que vivia em área de conflito no Iraque

ANÚNCIO
ANÚNCIO

“Quando as pessoas perguntam se Manno se lembrou de mim … eu mostro a eles este vídeo.”

ANÚNCIO

Mesmo depois de anos, um chipanzé chamado Manno não esqueceu a boa ação de seu salvador. A prova está no vídeo que mostram sua reunião.

Spencer Sekyer, viajou em 2014 do Canadá para a África e o Oriente Médio para fazer trabalhos voluntários.

ANÚNCIO

Ao norte do Iraque, Spencer encontrou dentro de uma pequena gaiola no zoológico, um animal que impactaria seus próximos anos de vida.

Manno é um chipanzé que quando não estava confinado, ele era vestido e alimentado com doces por crianças, o que o deixava sempre enjoado. Ele não era nada além de uma atração para eles, mas o canadense sabia que Manno merecia a liberdade de levar uma vida real.

ANÚNCIO

Devido ao tráfico global de animais selvagens, uma das maiores redes criminosas, o chipanzé foi levado da África ao zoológico. Privado de sua liberdade, ele foi comprado por 15.000 dólares.

Voltando ao Canadá, o homem começou o difícil trabalho de tentar, de longe, resgatar o animal do que estava rapidamente se tornando uma zona de guerra – o ISIS estava se aproximando do território.

Spencer pediu ajuda da renomada primatologista Jane Goodall, com que havia conversado por alguns minutos após um evento no Canadá. O instituto de Jane ajudou o homem a ter esperança. Além disso, conseguiram que a Ol Pejeta Conservancy, no Quênia, se envolvesse. A organização iniciou um esforço para trazer Manno de volta à África, ao “Santuário Chimpanzé do Sweetwaters”, uma casa perfeita para um chimpanzé como Manno.

ANÚNCIO

Felizmente, após três anos desde que Spencer tinha conhecido o animal, ele foi finalmente transportado para um santuário. Mas quando novos animais chegam aos santuários, eles precisam passar por um período de quarentena para garantir que estejam saudáveis ​​o suficiente para serem apresentados aos outros animais resgatados.

O canadense fez questão de estar lá quando o período de quarentena de Manno terminou para ajudá-lo a fazer a transição para sua nova casa.

O chipanzé se lembrou na mesma hora que era seu antigo companheiro e foi rapidamente lhe dar um abraço.

No primeiro momento, era incerto se Manno conseguiria se adaptar e relacionar-se com seus relativos.

Mas essas preocupações acabaram pouco tempo depois.

Mesmo não tendo sido fácil no começo, Spencer estava lá para ajudá-lo.

“Ele estava com muito medo, nunca tinha estado perto de chimpanzés antes, então eu fui para ajudar na sua integração”, disse o canadense.

Quando Manno e outro chimpanzé começaram a fazer cócegas, ele sabia que era hora de Manno seguir em frente e ter a vida que ele sempre mereceu.

Spencer nunca esquecerá o último abraço que Manno deu a ele. E, felizmente, ele sempre terá esse vídeo, para ajudá-lo a se lembrar da conexão genuína que formou nessa inesperada reunião em uma jaula no Iraque.

“Quando as pessoas perguntam se Manno se lembrou de mim ou por que eu o salvei, mostro a eles este vídeo”, disse o homem.