O presidente russo Vladimir Putin assinou no dia 20 de dezembro uma lei federal onde impõe penalidades mais severas em casos de crueldade contra animais.

O documento foi divulgado no portal oficial de informações legais do governo do país é uma versão revisada da Seção 245 do Código Penal Russo

(Crueldade para com os animais) onde estabelece consequências mais graves para a “crueldade animal que leva à morte ou lesão, se o ato foi cometido devido a comportamento delinquente ou egoísta, ou por métodos sádicos.

Sob essa nova lei, a pena máxima de prisão por abuso de animais foi aumentada de dois para cinco anos.

Se um animal for torturado na presença de um menor por um grupo de pessoas por meio de um “acordo prévio”

ou divulgado na Internet, será punido com uma multa entre 100 mil e 300 mil rublos (em torno de US $1.700 e US $5.100) ou com até dois anos de prisão ou trabalho corretivo.

Se o crime for ainda mais grave, o agressor enfrentará de três a cinco anos de prisão.

Em outubro do ano passado, dois jovens foram presos depois que imagens deles circularam pelas mídias em que mostravam os rapazes torturando animais. Na época, eles tinham 17 anos e torturaram 15 animais, incluindo cães e gatos. Seus métodos usados eram totalmente cruéis e sádicos. Alguns eram mutilando e assassinados.

Este ano, um tribunal russo condenou às duas jovens à prisão com uma amiga que ajudou nos vídeos.

Na Rússia, até então, era raro que casos contra a crueldade de animal fosse severamente punida. Mas esses casos acabam ajudando de certa forma na decisão do governo de criar essa nova lei que endurece a punição por abuso de animais.

Uma excelente medida que deve ser realizada em todos os países.