Mulher oferece sua única marmita de comida que tinha no trabalho para alimentar cãozinho de rua

ANÚNCIO
ANÚNCIO

O ato de generosidade e empatia de uma vendedora paulista viralizou nas redes sociais no início deste mês.

ANÚNCIO

Renata Honório, de 42 anos, foi ‘flagrada’ por uma colega de trabalho oferecendo a própria marmita de comida, a única que ela tinha, para um cachorrinho em situação de rua que passava na loja em que a vendedora trabalha, em Cubatão (SP).

A cena foi registrada na manhã do último dia 23, e repercutiu na web apenas uma semana depois.

ANÚNCIO

“[…] O cachorrinho entrou na loja e até achei que estava com algum cliente, porque olhava por todo o local. Mas, quando olhei para ele, enxerguei um olhar triste, que doeu meu coração. Como eu não tinha ração naquele momento para alimentá-lo, fui lá em cima e peguei o único alimento que tinha levado para o café da manhã, uma broa”, conta Renata.

Foi aí que uma colega de trabalhou tirou a foto e postou nas redes sociais.

A vendedora conta que a empresa em que trabalha sempre levantou a ‘bandeira da adoção’, inclusive ela mesma, que desde criança é apaixonada pelos animais, especialmente cães e gatos. Renata já resgatou diversos animais de rua com o irmão, oferecendo abrigo e comida.

ANÚNCIO

“De vez em quando, aparecem pela avenida da loja alguns animais abandonados andando por ali, então, meus colegas já sabem que eu costumo ajudar”, relatou. “O cachorrinho estava com um pouco de sarna, e percebi que só queria carinho. Depois que ele se alimentou, foi embora, e ainda foi visto e ajudado por uma amiga minha. Mas, apesar de procurá-lo muito depois disso, não o encontramos mais”, complementou Renata.

Ninguém esperava – nem a vendedora, nem sua colega de trabalho, – que a imagem faria tanto sucesso. Ela foi inicialmente compartilhada na página oficial da loja de departamentos em que elas trabalham, acumulando milhares de curtidas e comentários dos internautas, que  fizeram questão de exaltar a boa ação da moça.

ANÚNCIO

“Foi algo que a gente nem esperava. Mas, diante de tudo isso, o único sentimento que tenho no meu coração é que, se nós conseguirmos conscientizar as pessoas do auxílio que esses animais precisam, já vai ter valido a pena. O meu desejo é que não exista mais abandono de animais e que eles não passem fome, porque tudo que eles nos oferecem, independentemente das circunstâncias, é amor”, concluiu.