Mulher cega é indenizada pela Uber após motoristas negarem corrida por ela estar com seu cão-guia

Uma mulher chamada Lisa Irving, que vive em São Francisco, Califórnia, moveu e ganhou uma ação contra a empresa de mobilidade urbana Uber.

ANÚNCIO
Reprodução

Lisa, é deficiente visual e tem um cão-guia que a acompanha diariamente em todos os lugares, e esse foi o motivo que levou, pelo menos, 60 motoristas a negarem as corridas.

Além da falta de acessibilidade aos serviços prestados pela Uber, Lisa foi exposta a situações constrangedoras, sendo lesada ao perder cerimônias, datas importantes, e se atrasando para o trabalho.

Em um caso ainda mais alarmante, Lisa contou ao The San Francisco Chronicle que um motorista aceitou a corrida, mas no meio da corrida ameaçou deixá-la com o seu cão na rua. 

ANÚNCIO

Após todos os relatos, a justiça decidiu ganho ao seu favor, com uma indenização no valor de 1,1 milhão de dólares. Apesar da vitória no tribunal, não restará muito dinheiro para Lisa, já que as despesas com os honorários dos advogados chegam ao valor de 800 mil dólares.

Contudo, a vitória tem um valor simbólico que é o respeito pelas pessoas com deficiências e os seus animais que desempenham o importante papel de acompanhá-las e guiá-las.

ANÚNCIO