Por cerca de três décadas, o ativista Lawrence Anthony dedicou-se ao resgate, recuperação e cuidado à centenas de elefantes em situação de vulnerabilidade no continente africano.

Na década de 90, Lawrence largou o emprego em uma imobiliária para fundar a Reserva Particular Thula Thula e o Safari Lodge, verdadeiros santuários para elefantes livres da caça ilegal e da exploração humana.

Infelizmente, após quase 30 anos servindo à conservação ambiental, o ativista faleceu. Mas sua memória e legado permanecem vivas, especialmente nos elefantes que ele ajudou a criar. Tanto que dois dos elefantes mais próximos de Lawrence viajaram por mais de 12 horas pela área do santuário para chegar à casa do seu cuidador.

Ao chegarem em sua velha cabana, os animais fizeram vigília por dois dias antes de partir novamente.

Leia também: Mulher encontra casal de cachorrinhos abandonados em Goiânia: ‘Eles precisam de um lar!’

Sabe-se que os elefantes possuem uma excelente memória e são mais emocionais do que se imagina. Logo, não é difícil compreender porque eles tiveram uma reação tão calorosa ao tomarem ciência do falecimento de Lawrence, a quem consideravam como um pai.

Dias depois da ‘vigília’, outros 31 elefantes foram vistos caminhando por quilômetros nas redondezas da cabana do ativista, como se estivessem num ‘ritual de despedida’. Turistas e funcionários do santuário registraram a cena, que você pode conferir abaixo.

“Se alguma vez houve um momento em que podemos verdadeiramente sentir a maravilhosa interconexão de tod os os seres, é quando refletimos sobre os elefantes de Thula Thula. O coração de um homem para e os corações de centenas de elefantes ficam tristes. O coração amoroso deste homem se ofereceu para curar esses elefantes, e agora eles vieram prestar uma homenagem amorosa a seu amigo”, escreveu a cuidadora Leila Gail Berner ao portal Nation.

Confira o vídeo:

Leia também: Cadela idosa é acolhida por nova família semanas depois de ser abandonada em cemitério

Compartilhe o post com seus amigos! 😉