Homem que estava acostumado a fazer troça de cachorros pequenos se apaixona por um pequenote

ANÚNCIO
ANÚNCIO

A última coisa que todos esperavam de Bobby Humphreys era que ele se apaixonasse por um chihuahua – um cachorro não muito maior que o tamanho de sua mão.

ANÚNCIO

O fisiculturista de Boonsboro, Maryland, que divide seu tempo entre a academia e pisos de madeira especiais, era estritamente um “homem de cachorros grandes”. Ele chegava a ponto de ridicularizar amigos que ousavam ser vistos andando com seus pequenos cachorros de suas namoradas.

Mas às vezes os salvadores vêm em pacotes inesperados.

ANÚNCIO

Humphreys e sua esposa tiveram três Rottweilers durante o casamento. Humphreys adorava o visual majestoso e imponente dos Rottweilers.

“Todos os caras têm egos e tudo se resume a um grande concurso de medição de …”, disse Humphreys. “Quem tem a garota mais bonita? Quem pode ter a maior casa? Quem pode ter o melhor carro? Quem pode ter o cachorro mais durão? E no final todos somos inseguros de coração.

“Eu era apenas esse tipo de homem”, disse Humphreys. “Eu nunca pensei em ter um cachorrinho.”

ANÚNCIO

Então, na véspera de Ano Novo de 2016, o coração se partiu quando a esposa de Humphreys saiu de casa. Uma semana depois, ele machucou o ombro no ginásio, necessitando de cirurgia reconstrutiva.

Sozinho, sem sua parceira ou o uso de seu braço, Humphreys mergulhou em uma profunda depressão.

ANÚNCIO

“Sou uma pessoa muito sensível e ela era o meu mundo”, disse Humphreys. “Eu estava perdido. Comecei a beber para um propósito em vez de apenas socialmente ”.

Lentamente, o braço de Humphreys começou a sarar e ele começou a trabalhar mais uma vez – mas a depressão permaneceu. Parecia que não havia como escapar da escuridão até que Humphreys recebeu um pedido inesperado de uma amiga chamada Constance Rogers.

“Ela me manda uma mensagem um dia dizendo: ‘Você se importaria se a Lady ficar com você por um tempo, porque estou sendo expulsa da minha casa e ainda não tenho certeza para onde estou indo?’”, disse Humphreys.

Humphreys ouvira o suficiente sobre Lady, a pequena Chihuahua de Rogers, e ele não queria nada com ela.

“[Lady] tinha um temperamento terrível que era muito conhecido”, disse Humphreys. “Acabava sempre por evitar ela quando a via com amigos. Eu apenas não lhe dava atenção porque não gostava de cachorrinhos pequenos”.

Mas ele devia pra sua amiga, que o ajudara nos dias mais sombrios, por isso concordou em ficar com o cachorrinho. Então, um dia, ele voltou do trabalho para encontrar Lady olhando para fora do canil, estrategicamente colocada em frente à TV.

“Depois de cerca de 15 minutos, eu disse: ‘Dane-se, eu não me importo se este cachorro me morder ou não, ela não vai estar sentada em um canil'”, disse Humphreys. Connie se aproximou e ficou olhando para ela durante uma hora e meia e depois, e quando ela entrou, ficou totalmente surpresa. Lady foi no meu colo e ficamos inseparáveis ​​desde então.

Nos quatro meses seguintes, o vínculo de Humphreys com Lady cresceu ainda mais.

“Eu estava perdendo muito trabalho, não conseguia sair da cama”, disse Humphreys. “A única coisa que me mantinha em movimento era a Lady. Eu ficava na cama o dia todo com ela, brincávamos, ficamos mesmo muito chegados. Eu me apaixonei por este cachorrinho.

Humphreys sabia que um dia Lady voltaria para sua família, então ele começou a pensar em adotar seu próprio cachorro – desta vez, um pequeno.

E foi aí que ele encontrou Kira, uma chihuahua de um ano de idade, com problemas alimentares.

E então ele encontrou Harley e sua irmã Quinn.

“Qualquer um de vocês que tenha visto fotos ou conhecido Harley sabe que ela se encaixa muito na descrição dos ‘Rugrats'”, escreveu ele no Facebook. “Ela é grumosa, é meio desajeitada e muito frágil.”

Então ele resgatou Bella, cujas unhas estavam tão crescidas que voltavam para trás.

Quanto mais chihuahuas ele conhecia, mais ele percebia que precisavam de um lugar seguro para ficar.

“Comecei a ver um padrão”, continuou Humphreys. “Muitos desses lindos bebês estão sendo abusados ​​ou aproveitados e eu simplesmente não pude me sentar e assistir isso acontecer.”

Foi quando ele fundou a Big Guy, Littles World Sanctuary.

“Eu sou um cara grande, mas tecnicamente estou vivendo neste pequeno mundo, porque não importa se existem 37 [cães] como agora, ou dois, toda a minha vida gira em torno deles”, disse ele. “Há apenas um coração dentro desses caras que é realmente incrível.”

O resgate de Humphreys cresceu tão rapidamente, que ele teve de trazer Rogers (e a Lady) para o ajudar.

A vida de Humphreys tem sido imprevisível, mas graças ao amor de 37 Chihuahuas muito especiais, ele encontrou uma paixão que ele não sabia que tinha.

“O sentimento de amor que esses cães me deram, depois do que alguns deles passaram, me fez dizer: ‘Bem, agora sou responsável por eles’”, disse ele. “Eles confiam em mim e olham nos meus olhos e me dizem que me amam tanto”.


Gostou da matéria? Compartilhe este artigo. Isso nos ajuda a espalhar bons conteúdos nas redes sociais. Obrigado

Tradução e adaptação por Portal do Animal, da matéria originalmente criada por The Dodo