Algumas pessoas têm animais de estimação considerados ‘estranhos’, como cobras, aranhas ou outros pets exóticos. Mas o que você acha dos gambás como animais de estimação? Bem, se seu primeiro pensamento foi negativo, talvez você mude de ideia depois de ver as adoráveis ​​criaturas nas fotos abaixo.

A dona da conta do Instagram ‘It’s Me Sesame’ resgata e reabilita gambás e posta seu progresso. As fotos são adoráveis ​​e mostram um lado diferente desses bichos que costumam ser vistos como “pragas”.

“Nossos gambás são animais resgatados – nós sempre os libertamos de volta à natureza, exceto quando eles não podem sobreviver na selva. Dois dos meus fillhotes estão perdendo suas caudas e é por isso que eles não podem ser soltos; eles me amam, sou como uma embaixadora da vida selvagem. Quero inspirar a todos a amar e cuidar da vida selvagem e da terra”, disse Ally Burgueires, proprietária da conta com mais de 180 mil seguidores no Instagram.

Leia também: Cachorrinha ‘faz a sonsa’ ao ser questionada pela dona sobre quem comeu os chinelos dela

Os gambás são os únicos marsupiais nativos dos Estados Unidos. Eles são imunes ao veneno de cobra e mais resistentes à raiva do que outros animais semelhantes e, claro, podem ser super adoráveis.

Muitos gambás vivem com Ally Burgueires, como o ‘Sesame’. Mesmo que pareçam fofos com pijamas, é importante observar, antes de mais nada, que gambás merecem uma vida de liberdade! Sesame vive com Ally hoje porque quando era um bebê, foi atacado por um cachorro e nunca mais recuperou-se integralmente para retornar à vida selvagem.

Já ‘Starfish’, foi atacada por seus próprios irmãos após nascer e rejeitada por sua mãe biológica. Encontrada no chão, abandonada, quase sucumbindo à morte, a gambazinha foi resgatada por Ally e vive com sua nova mamãe adotiva desde então.

Além dos dois, a cuidadora norte-americana tem mais dois gambás em casa – Narciso e Cornelia. “São animais não liberáveis. No contexto da reabilitação de animais selvagens, isso significa que um animal que não pode ser solto de volta à vida selvagem, mesmo depois de reabilitado. Eles per deram suas caudas quando bebês, e uma cauda de gambá é uma ferramenta importante para sua sobrevivência ao ar livre (eles a usam para equilibrar, agarrar galhos e carregar materiais de nidificação.) Cornelia não pode ser liberada porque ela é leucística, o que significa que ela tem níveis reduzidos de melanina e outros problemas de saúde”, disse Ally.

Sobre o porquê de acolher e adotar em definitivo gambás, a cuidadora disse: “Eu sempre adorei gambás! Quando uma vida selvagem não pode ser solta, é uma situação muito difícil. Quase todos os animais selvagens vivem suas melhores vidas na natureza, e gambás não são exceção. Eles adoram ser selvagens!

Felizmente, os gambás se adaptam facilmente e pod em prosperar dentro de casa (embora não em gaiolas) com uma dieta e os cuidados certos, e eu sabia que poderia providenciar isso para eles (os meus vivem como gatos, com liberdade para correr pela casa). Um bônus adicional é que a sociabilidade e o amor dos meus bebês pelas pessoas os tornam grandes embaixadores de sua espécie! Por estar tão perto de nós, humanos, e nos permitir conhecê-los (pessoalmente ou nas redes sociais), eles encorajam as pessoas em todo o mundo a cuidar de seus primos selvagens”, concluiu.

Confira mais fotos abaixo:

#1

#2

#3

Leia também: Câmera escondida flagra cervos se esbaldando em piscina de lama: ‘Se divertiram bastante’

Compartilhe o post com seus amigos! 😉