Dogue Alemão resgatado de “mansão pesadelo” é adotado e tem uma vida maravilhosa agora

ANÚNCIO
ANÚNCIO

Do lado de fora, a mansão de New Hampshire parecia elegante e impressionante. Mas o interior continha um segredo sombrio e triste – o dono da casa estava administrando uma fábrica de filhotes, uma instalação comercial que cria e vende cachorros apenas para obter lucro, e ela não estava – de todo – cuidando dos cachorros adequadamente.

ANÚNCIO

Oitenta e quatro Dogue Alemães estavam amontoados dentro de gaiolas ou soltos por toda a casa, que estava coberta de fezes do chão ao teto. Muitos dos cachorros estavam abaixo do peso e tinham infecções nos olhos e nas patas. Não havia água disponível, e a única comida eram pedaços de frango cru espalhados pelos pisos imundos.

Em Junho de 2017, uma equipe de resgate de animais da Humane Society dos Estados Unidos (HSUS) conseguiu entrar na casa e nunca esquecerão o que vivenciaram lá.

ANÚNCIO

“Eles me disseram que a primeira coisa que sentiram foi um cheiro forte e rançoso, com níveis de amônia tão altos em algumas salas que os olhos do resgatador se desfizeram em lágrimas”, escreveu Wayne Pacelleem, então CEO da HSUS, em um artigo sobre a operação de salvamento. “Havia fezes e detritos espalhados por todas as paredes até o ponto em que as janelas ficarem opacas.”

Muitos dos dogue alemães eram tão “grandes quanto pôneis”, mas pareciam “tristes” e “quebrados”, de acordo com Pacelle.

ANÚNCIO

Enquanto a maioria dos cães estava sendo mantida em gaiolas, dois dogue alemães estavam trancados no quarto do dono, incluindo um cachorro idoso chamado Wanda.

“Temos fotos realmente dramáticas dela na cama dessa pessoa, que estava completamente coberta de fezes”, disse Morgan (que pediu que seu sobrenome permanecesse privado), um resgatador de animais da HSUS. “Estava um outro cachorro no quarto, e Wanda estava meio encolhida atrás do outro cachorro.”

ANÚNCIO

Wanda parecia um pouco assustada, mas ela rapidamente se “abriu” para a equipe de resgate.

“Ela foi um dos únicos cachorros que instantaneamente veio até à gente com que ‘me dê beijos, apenas me ame, só quero carinho'”, disse Morgan. “Ela era uma cadela muito, muito social.”

A equipe transferiu os cães para um local seguro, mas não revelado, na Nova Inglaterra, e os cães tiveram que ficar lá durante 14 meses, enquanto a HSUS iniciou uma batalha legal para obter a custódia total deles.

Enquanto esperava que os tribunais decidissem o destino dos dogue alemães, Morgan ajudou a cuidar deles no abrigo. Durante esse tempo, Morgan desenvolveu um fraquinho por Wanda – e Wanda se apaixonou também por Morgan.

“Enquanto eu estava no abrigo, ela me observava, não importava onde eu estivesse – ela apenas me observava, me observava, me observava”, disse Morgan. “E todos os voluntários diziam: ‘Você sabe que ela é a sua cachorra, certo? Ela escolheu você. Esse é o seu cachorro. E eu fiquei tipo ‘eu não sei. Eu tenho que pensar sobre isso.’ E todo mundo ficou tipo ‘Não, não, não, ela escolheu você. Essa é sua garota’.”

Morgan tinha muita coisa acontecendo em sua vida na época – seu marido estava para fazer um transplante de fígado, e ele precisaria de muitos cuidados após sua operação. Mas quanto mais Morgan pensava em Wanda, mais ela percebia que Wanda era o cão perfeito para sua família.

“Sempre me senti atraída por cachorros mais difíceis e sempre aceitei os menos comportados”, disse Morgan. “Mas eu sabia que com tudo o que estava acontecendo com o meu marido e o fato de termos que ter cuidadores em casa… Eu sabia que precisava ir em frente e adotar um cachorro dócil. E Wanda sempre foi uma das mais sociais – tão doce, que literalmente amava todos que ela conhecia.”

Quando a HSUS finalmente ganhou a custódia legal dos cães no início deste ano, Morgan seguiu em frente e adotou Wanda, levando-a para casa para morar com ela, seu marido e seus outros dois cães e gatos.

“Foi provavelmente uma das melhores decisões que já tomei”, disse Morgan.

Wanda, que é cerca de 18 quilos mais pesada do que Morgan, tem uma estreita ligação com sua nova mãe, e a segue absolutamente para todos os lugares.

“Eu não consigo andar 1 metro pela casa sem ter ela atrás de mim”, disse Morgan. – “Ela se espreme para entrar no banheiro comigo… e qualquer que seja a cadeira em que estou sentada, ela descobre sempre uma maneira de se sentar na cadeira comigo. Ela não consegue dormir sem que sua cabeça esteja no meu peito.”

Wanda também tem sido muito atenciosa com o marido de Morgan desde o transplante de fígado.

“Ela tem que estar ao lado dele com a cabeça no colo dele, apenas o observando e vendo o que está acontecendo”, disse Morgan. “Ela sempre se move de modo a que esteja sempre na frente dele para que ninguém pule nele e o machuque. Não sei como ela sabe, mas ela simplesmente sabe.”

Morgan também viu grandes mudanças no comportamento de Wanda.

“Ela costumava ser o cachorro mais difícil relativamente a comida no abrigo”, disse Morgan. “Estávamos tentando algo novo todos os dias para conseguir fazer ela comer, mas ela não comia. E agora temos que literalmente trancar e esconder a comida dela… ela come tudo. Ela é tão confiante e feliz, e seu pêlo agora está brilhando.”

Wanda se tornou uma parte tão importante da vida de Morgan que ela não consegue imaginar a vida sem ela – e Wanda provavelmente sente o mesmo.

“Eu não sou o tipo de garota que acredita em almas gêmeas ou algo assim, mas se existe tal coisa, então ela é minha”, disse Morgan. “Eu amo esse cachorro mais que tudo. Eu literalmente passei toda a minha vida cuidando de animais, e acho que nunca amei um animal tanto quanto a amo. Ela é a melhor.”


Gostou da matéria? Compartilhe este artigo. Isso nos ajuda a espalhar bons conteúdos nas redes sociais. Obrigado

Tradução e adaptação Portal do Animal – Fonte: The Dodo