ANÚNCIO

Em março do ano passado, oficiais do Departamento de Polícia de Lafayette, na Luisiana (EUA), responderam a uma chamada de emergência envolvendo um “ataque de pit bulls”.

De acordo um relatório policial posterior, os pit bulls pertenciam a Shane Michael Thompson, de 29 anos. Os cães estavam gravemente desnutridos e atacaram os companheiros de quarto de Shane. Um dos colegas de quarto quebrou o braço e sofreu várias lacerações, que foram tratadas com cirurgia.

ANÚNCIO

Leia também: Cachorrinho idoso chora por dias até finalmente se reunir com seu melhor amigo no abrigo

Uma vez que os policiais começaram a investigar o caso, ficaram chocados ao descobrir vários animais abusados ​​e maltratados vivendo em condições miseráveis ​​na garagem de Shane. Depois de obterem um mandado de busca, os oficiais foram capazes de apreender 3 pit bulls adultos, 7 filhotes de cachorro, 2 jiboias, 2 chinchilas, um lagarto e alguns peixes da propriedade de Shane.

ANÚNCIO

Todos os animais estavam desnutridos e feridos, vivendo em jaulas revoltantemente apertadas e cheias de fezes, com um fedor insuportável. Eles estavam subindo uns sobre os outros em um estado de angústia e não tinham acesso a comida ou água. Os animais foram transferidos para a ONG Humane Society of Boulder Valley e Colorado Reptile Humane Society para atendimento especializado de acordo com suas necessidades.

Durante a investigação, Shane foi considerado um agressor reincidente com uma história bastante alarmante com animais. Em 2010, ele foi acusado de crueldade contra animais por espancar e sufocar seu filhote de cachorro de 3 patas, Moonshine, até a morte.

ANÚNCIO

Leia também: Cãozinho fofo resgatado por policiais vira xodó de delegacia e é recrutado como K-9

Moonshine tinha sofrido grandes hematomas devido a um traumatismo contundente, mas o relatório da necropsia mostrou que ele morreu asfixiado. Shane teve problemas com a lei novamente em 2018, quando um de seus pit bulls sem coleira atacou outro cachorro.

Depois de vários julgamentos no ano passado, Shane foi condenado a 2 anos de liberdade condicional e 60 horas de serviço comunitário por suas acusações atuais. Ele teria se confessado culpado de crueldade com animais e propriedade de um cão perigoso, ambos delitos.

Como parte de seu acordo judicial, ele foi inocentado de 18 acusações de crueldade contra animais e uma acusação relacionada de adulteração de testemunhas. Justo? Achamos que não.

De toda forma, considerando suas tendências de uma década para o abuso de animais, Shane também foi obrigado a se submeter a avaliações de saúde mental, controle da raiva e aulas de cuidados animais. Ele também foi proibido de possuir animais durante o período de experiência.

Você pode gostar: