Quem tem um cão, sabe bem como é. Ele fica a explodir de alegria quando chega a casa, quando o leva à rua ou quando lhe dá mimos. E até quando não é assim tão simpático para o seu cão, ele mostra um amor incondicional por si, não é verdade?

Agora os cientistas podem ter uma explicação para este fenómeno: a genética.

Como reporta o Science Alert, um estudo realizado por investigadores da Universidade do estado de Oregon revela que há variações em vários genes que podem tornar os cães mais afáveis do que os lobos e até alguns cães mais amáveis do que os outros.

Os cientistas descobriram que ‘o melhor amigo do homem’ partilha uma sobreposição cromossómica com um distúrbio humano chamado síndrome de Williams-Beuren – e esta similaridade pode ajudar a explicar a sociabilidade inabalável dos cães.

“Pensava-se que, durante a domesticação, os cães evoluíram uma forma avançada de cognição social que os lobos careciam”, explica a cientista animal Monique Udell da Oregon State University.

“Esta nova descoberta sugere que os cães, em vez disso, têm uma condição genética que pode levar a uma motivação exagerada para procurar o contacto social, em comparação com os lobos”.

A síndrome de Williams-Beuren é um transtorno do desenvolvimento que afeta as características faciais das pessoas e causa uma série de problemas de saúde, incluindo defeitos cardíacos e anormalidades no cérebro e no sistema nervoso. Mas um dos principais sintomas psicológicos da síndrome é a hipersociabilidade, caracterizada pela falta de inibição social e demonstrações de comportamento amigável e extrovertido, mesmo para estranhos, combinada com alta empatia.