ANÚNCIO

Kimber, é uma Pastor Alemã que foi resgatada das ruas, estava em um estado lastimável, severamente desnutrida, coberta de sarna e infecções na pele. Era também, bastante notório que ela tinha uma forte aversão aos homens. A pobre cadela se encolhia e tremia quando algum homem chegava perto dela.

Mas a sua vida estava prestes a mudar – para muito melhor! A Charleston Animal Society, a acolheu e cuidou dela até que voltasse a ser a linda menina que sempre foi.

ANÚNCIO

Mais tarde, Steve Hall, um jovem militar do corpo de marines dos Estados Unidos, adotou a cadelinha e eles tiveram de imediato uma conexão especial e, apesar de Steve ser um homem, a cadela, surpreendentemente, não teve medo dele.

Hall serviu no Iraque e no Afeganistão e depois voltou para casa com TEPT (transtorno de estresse pós-traumático). Ele sofria com vários pesadelos e flashbacks (voltar rapidamente a eventos ocorridos no passado) e era quase como se Kimber pudesse pressentir o trauma de Hall e soubesse que o poderia ajudar. Então, Kimber acabou por se tornar sua cadela de terapia (certificada), trazendo para ele um muito bem vindo conforto e amor!

ANÚNCIO

Então em Março passado, Steve Hall concordou que sua cadela participasse em uma sessão fotográfica, para o calendário anual da Charleston Animal Society. E foi aí que Kimber conheceu alguém muito especial… Um outro homem, chamado Rob Tackett.

Kimber e Tackett pousaram para a sessão fotográfica juntos e logo criaram uma forte ligação! Duvidamos que tenha sido pela boa aparência e abdominais do homem – mas sim por algum bem mais profundo, que fez com que a cadelinha se apaixonasse de patas e coração pelo bombeiro.

ANÚNCIO

A sessão e a ligação entre o bombeiro e a cadela serviu também para que Tackett e Hall se tornassem amigos rapidamente. Tackett, um veterano do exército, podia se relacionar com o que Hall tinha passado e Hall – que raramente se enganava ao “julgar” o carácter das pessoas – também se apercebeu que Kimber tinha visto algo de especial nele.

Então chegou o momento em que Hall precisava que alguém o ajudasse com Kimber. Ele iria se submeter a uma cirurgia no pescoço e não podia cuidar da cadelinha durante a sua recuperação.

“Infelizmente, a sua doença e condição física o impediram de cuidar de Kimber do modo que ele achava que ela merecia. Então, com o coração pesado e apertado, decidiu que seria melhor para Kimber estar com alguém que pudesse cuidar dela”, escreveu Tackett na sua página do Facebook, depois de Hall lhe ter pedido que adotasse a cadela formalmente.

“Sabendo o quão especial ela era, ele me perguntou se eu seria capaz de a adotar de forma permanente.”

“Por vezes me pergunto, se quando a pequena Kimber chegou ao abrigo – abandona e repleta de sarna – os voluntários faziam ideia do impacto que ela poderia trazer à vida dos soldados veteranos de Charleston,” continuou ele na sua publicação no facebook. “Pergunto se eles se aperceberam, que ela era um desses cachorros, abençoados por Deus, para ver através das tragédias, diretamente à parte vulnerável de todos nós – as partes que todos nos empenhamos em esconder.

“Pergunto se os doadores, os patrocinadores do calendários, os homens e mulheres que o compram e todo o staff do abrigo sabiam, que ela iria conseguir mexer em tantas vidas. Não tenho a certeza se alguém sabia o seu propósito de vida, mas o que eu sei é que ele se importaram o suficiente para lhe salvar a vida, e também sei que foram capazes de o fazer através da generosidade da nossa comunidade e dos fundos recolhidos por todos.

Devido a atos de generosidade e apoio constante da nossa comunidade, que tive o privilégio de ver na primeira pessoa, uma Pastora Alemã muito especial trazer tanta alegria aos nossos soldados. E agora eu pergunto – quantas mais almas incríveis, como a Kimber, teremos de salvar? Se ainda não o fez, por favor faça uma doação, ou compre um dos calendários. Eu vi pessoalmente o efeito que isso tem não só na vida dos animais, mas também na vida daqueles que eles são capazes de tocar”, termina.

Kimbe e Tackett – Uma relação abençoada pelo paraíso, “cão” certeza!


Gostou da matéria? Compartilhe este artigo. Isso nos ajuda a espalhar bons conteúdos nas redes sociais. Obrigado

Você pode gostar: