Cadelinha abandonada corre em direção a viajante pedindo por ajuda e ele a resgata

ANÚNCIO
ANÚNCIO

Quando o corretor de imóveis Scott Kalmbach viajou para a Guatemala em novembro passado, ele sabia que iria proporcionar uma casa para uma pessoa que precisasse dela – mas ele nunca pensou que daria um lar também para alguém de quatro patas.

ANÚNCIO

Ele faz parte do Home for a Home, uma organização sediada em San Francisco que constrói casas para famílias na Guatemala. Caminhando ao longo da calçada de Balanya com alguns colegas de trabalho, Kalmbach quase foi ‘atropelado’ por um minúsculo animal de cor bege que atravessou a estrada em sua direção.

Era uma pequena cadelinha.

ANÚNCIO

“Ela estava abanando o rabo tão rápido e furiosamente, que caia com tanta excitação”, disse Kalmbach. Ele ficou surpreso com o quão animado e excitado o cãozinho estava, comparado a muitos outros animais que ele tinha visto durante a viagem.

Ele pegou o telefone e tirou uma foto, mas infelizmente teve continuar o seu caminho, pois um dia cheio de trabalho em uma aldeia próxima estava à sua espera. No entanto, ele prometeu a si mesmo que voltaria para a ver.

“Eu pensei: ‘Se eu encontrar esse cachorro quando voltarmos para Balanya, eu a vou levar para casa comigo”, disse Kalmbach. “Ela era uma menina tão doce.”

ANÚNCIO

Ele decidiu chamá-la de Chica. Naquela noite, quando voltou ao hotel, Kalmbach vasculhou a internet para encontrar um grupo de resgate de animais que pudesse ajudá-lo e ajudar a Chica. Depois de algum tempo de procura, encontrou a Unidos Para Los Animales.

Kalmbach entrou em contato com a fundadora do abrigo, Linda Green, que concordou imediatamente em providenciar cuidados veterinários e tratar de toda a burocracia para Chica voar com ele para sua casa na Califórnia, mas tudo iria depender se Kalmbach conseguisse encontrá-la novamente. Afinal, o abrigo trata do transporte cães regularmente para a Califórnia, para sua novas casas todos os anos. Estava destinado.

ANÚNCIO

Com um plano em andamento, o próximo passo foi procurar Chica. Ele procurou e revistou a aldeia sem sorte – então ele pediu ajuda a um grupo de crianças. As crianças pareceram reconhecer instantaneamente a foto de Chica e guiaram Kalmbach por toda parte, rua após rua. Depois de duas horas de caminhada, eles o levaram até ao lixão da cidade.

“Era uma vasta colina de lixo, onde crianças e cães vadios vasculhavam os montes de lixo, procurando algo para comer ou brincar”, disse Kalmbach. “Ao lado desta torre de lixo, deitada em um ninho de grama alta, estava Chica, sorrindo com aqueles olhos dela e abanando aquela cauda descontroladamente.”

Quando Kalmbach finalmente conseguiu pegar Chica, percebeu que ela estava bastante maltratada. Estava muito magra e coberta de pulgas, insetos e excrementos – e não havia forma de saber quando tinha sido a sua última refeição. Mas apesar de tudo, ela estava nada mais do que muito feliz.

Kalmbach embalou o cachorrinho enquanto arrumava uma caixa em seu carro com algumas agulhas de pinheiro dentro para servir de cama até que chegassem à cidade de Antígua, onde planejava encontrar Green, a fundadora do abrigo. Chica finalmente teve um lugar seguro para descansar – e dormiu toda a viagem de mais de 2 horas.

Quando ele deixou Chica no abrigo, sabia que ela ficaria em ótimas mãos. De seguida enviou um pequeno e-mail para a sua família em San Francisco, dizendo: “Estou voltando para casa com uma história e uma bela surpresa”, escreveu.

No decorrer do mês seguinte no abrigo, a pequena Chica ganhou algum peso muito necessário e foi tratada dos parasitas e pulgas. Não demorou muito para que ela estivesse limpa, vacinada e pronta para o seu grande dia: a ida para a sua nova casa.

Ela voou para São Francisco e se reuniu com o pai à meia-noite. Eles poderiam ter passado um mês separados, mas Chica se lembrou de quem ele era imediatamente. Além de estar maior e aparentemente bem mais saudável, a doce cadela continuava tal qual ele a tinha conhecido.

Kalmbach tinha a forte sensação de que Chica se encaixaria perfeitamente na família – e ele estava certo. Ela se instalou imediatamente e instantaneamente ganhou também o coração dos outros animais de estimação e dos dois filhos do casal.

“Ela é fantástica com as crianças e tem sido uma grande madrasta para os nossos outros animais de estimação, incluindo coelhos e cabras”, disse Kalmbach. “Ela é extremamente carinhosa e adora dormir debaixo das cobertas na cama”.

Enquanto Chica adora passar tempo com sua família, sua verdadeira luz aparece em seu lugar favorito: o parque dos cachorros. “Ela é ótima com outros cães e se destaca no parque dos cães”, disse Kalmbach.

Agora, aproximando-se de seu primeiro aniversário neste outono, Chica está vivendo uma vida de sonho com sua nova família após um começo tão incerto. Kalmbach nunca se esquecerá de quando a viu pela primeira vez naquelas ruas empoeiradas – o momento que mudou as suas vidas para melhor.

“É difícil acreditar que ela teve um começo tão difícil e agora se estabeleceu tão bem em uma vida normal”, disse ele. “Acho que muitas pessoas encontram cães vadios quando estão viajando e não percebem que é realmente possível trazê-los para casa e lhes proporcionar um novo começo. Ela é tão amorosa… e eu estou tão muito agradecido por a ter trazido para casa.”