ANÚNCIO

A história de Negrita, uma amorosa e fiel cadela argentina conquistou recentemente as redes sociais do país sul-americano.

Grávida e prestes a dar à luz, ela foi encontrada pela família Castro, que a adotou e lhe proveu abrigo. À época bastante debilitada pela falta de comida e cuidados, eles cuidaram dela e de seus filhotes.

ANÚNCIO

Quando estes cresceram, o casal os entregou para adoção, uma vez que não tinham condições financeiras de mantê-los em casa. Quanto à Negrita, entregaram-a para um amigo proprietário de uma fazenda a 160 km da cidade, que prometeu cuidar e amar a cachorra como um pai.

Apesar de ser bem recebida na fazenda e ter se adaptado à rotina no campo, tendo bastante espaço para correr e brincar, Negrita queria voltar a casa que a resgatou quando ela mais precisou.

ANÚNCIO

Em poucos dias, ela fugiu da fazenda, encontrando de alguma forma uma maneira de escapar. O fazendeiro procurou pela cachorra por três dias, sem sucesso. Então, desistiu de encontrá-la, dando-a por perdida.

Uma semana depois de ser informada sobre a fuga de Negrita, a família Castro a encontrou em uma rua próxima à sua casa. A cadela estava desidratada, anêmica e absolutamente faminta, além de ter bolhas nas patas, sinal do quanto havia andado nos dias anteriores.

ANÚNCIO

E então, uma vez mais, a família a ajudou a se recuperar. Eles não conseguiam acreditar no quanto a cadela havia caminhado somente para reencontrá-los.

Cientes do amor de Negrita por eles, a família Castro decidiu adotá-la permanentemente.

Ligaram para o fazendeiro para informá-lo que haviam reencontrado Negrita e que desta vez, ficariam com ela.

Caminhado 20 km por dia, Negrita percorreu a longa estrada até sua casa em sete dias. Como recompensa por sua fidelidade e perseverança, a cadela ganhou um lugar na família Castro para sempre. Ela escolheu a sua casa e não deixou que ninguém contrariasse a sua vontade.

Incrível notar o quão fortes os laços de nossos animais de estimação para conosco podem se tornar, bem como são fortes os nossos laços para com eles.


Gostou da matéria? Compartilhe este artigo. Isso nos ajuda a espalhar bons conteúdos nas redes sociais. Obrigado!

Você pode gostar: