Stuart Hutchison tinha 25 anos, quando foi diagnosticado com um tumor cerebral em 2011 e submetido a duas cirurgias e várias sessões de quimioterapia.

Mas sua condição piorou em 2014 e em 2018 foi descoberto que o câncer havia se espalhado para o cérebro, ossos e pélvis. Ele morreu em casa com sua família em 11 de Agosto desse ano, apenas 15 minutos antes de seu buldogue francês Nero, de dois anos, inesperadamente perder a vida.

Sua mãe Fiona Conaghan, 52 anos, contou que ‘Stuart morreu por volta das 13h15 daquele dia, e Nero morreu cerca de 15 minutos depois’. Ele tinha três cães, mas ele e Nero eram como pai e filho.

‘Nero era o cachorro que estava sempre com ele’. Disse Danielle, sua esposa, que ficou com o coração partido por ter perdido os dois. Chegamos com Stuart em casa há quatro semanas porque ele queria morrer em casa, onde ele nasceu. Cuidamos dele até o final”.

“Esperávamos esse desfecho, mas ainda é difícil. Ainda é um choque e traumático quando finalmente chega a hora. A família só descobriu que Nero estava doente quando o pai de Danielle foi à casa deles em Alloa, Clackmannanshire, para pegar os óculos dela. Fiona disse: ‘Danielle ficou na nossa casa com Stuart e acordou uma manhã e percebeu que seus óculos estavam quebrados”.

O pai dela disse que iria buscar outro par que estava em sua casa. “Quando ele chegou lá, percebeu que o cachorro estava doente e o levou aos veterinários de emergência. Disseram que ele havia rompido algo em sua coluna, mas ele estava totalmente bem antes disso.”

Stuart e Danielle ficaram juntos por seis anos, ficaram noivos em 2017 e se casaram em Janeiro no início de 2018. O casal tinha os cães Nala e Nero e seu filhote, Amelia. Foi durante um feriado na Espanha em maio que Stuart começou a sentir uma dor na mão, que depois se espalhou por todo o braço.

Ele foi ao hospital fazer uma varredura e os médicos descobriram que o câncer “dominara todo o cérebro e se havia espalhado para os ossos e a pélvis”, disse Fiona. Ela acrescentou: ‘Sempre soubemos que isso era uma possibilidade. Stuart era um personagem forte e amável, todos o amavam.”