Cachorrinha ‘salsicha’ faz amizade com vovó de 84 anos e elege ela como sua ‘pessoa favorita’

ANÚNCIO
ANÚNCIO

A cachorrinha salsicha fez amizade com uma vovó de 84 anos e a elegeu como sua pessoa favorita. Sally é uma simpática e hiperativa cachorrinha Dachshund que já é adotada, mas criou um laço afetivo com outro humano além daquelas que ela já convive em sua casa. 

ANÚNCIO

Para isso, a cadela escolheu uma idosa de 84 anos, a vovó de sua dona, como sua segunda mãe. De acordo com o portal Animal Channel, Sally é muito respeitosa com todos em sua família, mas o seu verdadeiro xodó, a dona do seu coração, é a Sra. Nan, a vovó que ela visita 2 a 3 vezes por semana no Reino Unido, onde seus pais adotivos vivem.

Fonte: (Reprodução/Internet)

Leia nos tópicos abaixo os assuntos que vai encontrar neste artigo:

  • Como Sally adotou Sra Nan como pessoa preferida;
  • Cães podem ter ciúmes?
  • Cachorros podem ter mais de um dono?

Como é a relação de Nan com a cachorrinha 

A Sra. Nan e a cachorrinha mantêm um contato frequente desde que a pequena era recém-nascida, de modo que o vínculo entre as duas é bastante compreensível. Juntas, elas adoram ficar observando pássaros ou tirando uma soneca no sofá. Na hora de dormir, Sally se comporta como um bebê. Dá para acreditar?

ANÚNCIO
Fonte: (Reprodução/Internet)

Segundo a Sra. Nan, ela costuma enrolar a cachorrinha em uma coberta, envolvendo-a por completo e cantando uma canção de ninar até a canina pegar no sono. Impossível não se apegar, né? Tamanha afetividade é absolutamente recíproca. Quando Sally ainda era uma filhote, ajudou sua vovó a passar por um momento bem difícil.

A Sra. Nan sofreu muito com o falecimento de seu marido, que morreu de velhice. A neta de Nan declarou que cadela estava na casa da avó no dia seguinte da morte de seu avô. Desde então, Sally sempre esteve com Nan o tempo todo. Para ela, a cachorrinha Sally definitivamente ajudou Nan a atravessar um momento de dor. 

Sally tem ciúmes de sua vovó 

Por incrível que pareça, os cachorros também sentem ciúmes de seus donos. Prova disso é a relação entre a Sra. Nan e Sally. A conexão das duas é tão forte que a cachorrinha tem ciúmes de sua vovó. Quando Nan não lhe dá atenção, ela fica super irritada. Certa vez, a senhora ganhou uma estátua parecida com Sally e o pet não gostou muito. 

ANÚNCIO

De acordo com a própria Sra. Nan, ela precisou se desdobrar para conquistar o carinho da cadelinha. Se você acha estranho a postura de Sally, saiba que é muito comum no comportamento dos animais. Assim como Nan, muitos donos precisam reconquistar seus pets quando eles se sentem ameaçados ou quando não têm a atenção desejada.

Algumas pessoas não levam muito a sério essa questão dos cachorros terem sentimentos, apesar de serem inteligentes. Mas se os cães são os melhores amigos do homem, por que eles não seriam capazes de sentir amor, raiva, tristeza e até mesmo ciúmes? Vamos ver no próximo tópico falaremos mais sobre o assunto. 

Ciúmes entre cães e humanos

A ciência está aí para provar que os humanos e os seres humanos podem ter comportamentos semelhantes. É comum que os pets se sintam ameaçados com a presença de um novo membro da família, por exemplo, podendo até sentir ciúmes. Bom, pelo menos foi o que apontou um estudo feito pela Universidade de Viena. 

ANÚNCIO
Fonte: (Reprodução/Internet)

Os especialistas pediram para que 36 tutores de cães fizessem carinhos em 3 objetos distintos na frente de seus pets. O primeiro objeto era um cachorrinho de pelúcia que abanava o rabo e latia. O segundo era uma abóbora e o terceiro um livro. O resultado foi todos os cachorros irritados ao verem seus donos acariciando o urso de pelúcia. 

Assim, o estudo apontou que os cães são capazes de entender a presença de algo que pode lhe tirar a atenção. Ou seja, algum ser vivo que pode disputar a atenção do dono com ele. Embora seja um sentimento complexo, uma mistura de tristeza, raiva e receio de perder alguém, o pet pode setir medo de perder o vínculo com seu dono.

Sinais de que o pet está com ciúmes 

Alguns cães demonstram ciúmes de uma forma mais explosiva, latindo e mordendo o terceiro que se “intromete” na relação com seu tutor. Por outro lado, alguns sinais podem ser sutis tornando a interpretação um pouco mais difícil. Logo, é importante avaliar o comportamento do pet. 

Uma atitude típica de cães enciumados é fazer xixi no lugar errado. Não é novidade que o xixi é uma forma que os cachorros têm de marcar seu território. Por esta razão, se eles estiverem com ciúmes vão começar a urinar em lugares diferentes na tentativa de se auto afirmar. É mais ou menos o pensamento de “eu vou mostrar quem manda nessa casa”. 

Além disso, o cãozinho costuma latir em excesso. Afinal, é a estratégia que o pet tem de chamar a atenção do dono. Esse comportamento tende a acontecer quando o dono interage com outro pet ou outra pessoa. Simultaneamente ou não, o cachorro pode apresentar comportamento agressivo até mesmo com o seu dono. 

Como ajudar o cachorro a ficar mais tranquilo 

Caso identifique que o pet está com ciúmes, é necessário fazer uma análise da situação. Como por exemplo, se o comportamento do cachorro mudou após o surgimento de um novo integrante da família. Pode ser que o cãozinho esteja se sentindo esquecido. Neste caso, o ideal é dar carinho e atenção ao pet. 

Fonte: (Reprodução/Internet)

Quando sentir segurança, apresente o novo membro da família ao cachorro para que ele não estranhe a mudança no ambiente. Assim, o cachorro pode começar a criar vínculo com o outro animal ou com um humano. Dessa maneira, o tutor vai transmitir segurança ao pet fazendo ele entender que não perderá seu espaço com a chegada de terceiros. 

Essas dicas podem ajudar a diminuir o ciúmes nos cães. Caso não resolva, pode ser que o adestramento seja uma opção interessante. Evite brigar com o cachorro, isso pode acentuar o comportamento agressivo. A sensação que o animal tem é de que o dono está brigando com ele por culpa de terceiros. 

O que pode causar o ciúmes 

Segundo especialistas, os cães tendem a ter ciúmes pelos mais diversos motivos. Entretanto, os principais gatilhos para uma mudança brusca no comportamento desses animais são a chegada de um novo bichinho em casa, o nascimento de um bebê ou ou a chegada de outra pessoa na família. 

Um fato a se atender é que estudos indicam que o ciúmes pode ter sido nutrido pelos próprios donos durante o crescimento do cachorro. Quando o tutor não impõe limites ou não insiste no adestramento, o cão pode acabar tendo atitudes territorialistas e possessivas com brinquedos, comida e com o dono. 

Cachorros têm uma pessoa preferida?

Relembrando a história de Sally e sua pessoa favorita, a Sra. Nan, o cachorro escolheu um terceiro que não era da sua família adotiva. Como isso é possível? Algumas pessoas acreditam que o cachorro escolhe apenas um dono. Apesar dos cães gostarem de estar em família, sempre tem um humano preferido.

Fonte: (Reprodução/Internet)

Muita gente acredita que o humano preferido vai ser aquele que dá comida, mas os cãezinhos não são tão mercenários assim. Estudos apontam que a pessoa que mais interagir com o filhote, nos primeiros seis meses de vida, será o humano de quem ele será mais próximo. Nessa fase, o cérebro do pet é altamente receptivo. 

As experiências sociais e a interação com humanos no início da vida do pet o influenciam para sempre. Por esta razão, os veterinários recomendam que os donos permitam que os cães tenham diversas interações positivas, com ambientes, pessoas e animais diferentes. Logo, é mais fácil educar o cão quando ele é adotado ainda filhote. 

Comida X Interação Social 

O gesto de alimentar o cachorro também é reconhecido por ele. Entretanto, nem sempre vai ser o único fator que faz o cão escolher seu humano preferido. Geralmente, a pessoa que passa um tempo com o cachorro, dando carinho e brincando tende a ser o escolhido da família. 

No caso de cachorros que chegam já velhos no novo lar, funcionará da mesma forma. Todavia, o processo de adaptação é um pouco mais lento. Mas a dica é a mesma: esteja presente na vida do pet. Os cachorros gostam de atenção quando estão acompanhados de seus tutores.

Agora, como saber quem o cão escolheu como tutor? Os sinais são muito claros, impossível não percebê-los. Os cães costumam abanar o rabo frequentemente e tendem a pedir carinho para o seu tutor. Outra forma clara de identificar é quando a família chega em casa. Procure observar quem o cachorro “cumprimenta” primeiro. 

Como socializar os filhotes

Durante o post falamos sobre a importância de tornar a interação social dos filhotes diversa. Até os 6 meses de idade o cachorro armazena informações que irão refletir durante os próximos anos de vida. Então, se deseja investir na socialização do pet, leve-o para passear ao ar livre.

Ainda, incentive-o a ter contato com várias espécies de animais. Isso ajuda a prepará-lo para receber novos pets, caso os tutores decidam tê-los futuramente. Também, introduza sons e barulhos diferentes para que ele não se assuste durante os passeios nas ruas com carros e motos, por exemplo.