Tweet contesta a não adoção de ‘vira-latas’: ‘Brasileiro não ama pet, ama pedigree’

ANÚNCIO
ANÚNCIO

O vira-lata pode até ser o cachorro preferido do brasileiro, mas este amor todo não se manifesta na hora da adoção. Pelo menos é o que diz a Pesquisa Nacional de Saúde (PNS 2013), realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBG), demonstrando que os cães de raça ainda são os preferidos nos lares dos Brasil.

ANÚNCIO

Segundo o levantamento, 44% dos domicílios no país possuem pelo menos um cachorro e  44,7% dos cachorros das pessoas entrevistadas têm uma raça definida, o que reflete diretamente no processo de adoção. Ao priorizar a raça, o brasileiro toma o caminho da comercialização de animais, contribuindo para o aumento do número de cachorros sem lar.

De acordo com o trabalho desenvolvido pelo por outro instituto, o Fess’Kobbi, por volta de 27% dos entrevistados dizem terem sido presenteados com um cachorro. Ou seja, apenas 41% dos cães domésticos foram adotados.

Nas redes sociais o hábito brazuca de comprar ao invés de adotar tem sido aliás contestado:

ANÚNCIO

O IBGE aponta que a população de cães e gatos é maior do que o número de crianças no país. São mais de 100 milhões distribuídos nos lares brasileiros, 60% superior a de crianças.

Porém deste total, 20 milhões estão abandonados. É a conclusão de um relatório divulgado pela Organização Mundial da Saúde, que analisa ainda o cenário em grandes cidades como São Paulo onde problema é ainda maior, existindo um cachorro para cada cinco habitantes.

ANÚNCIO

Como se pode ver, não faz o menor sentido buscar cães de raça e tampouco pagar quantidades exorbitantes por eles enquanto nos deparamos diariamente com animais vagando sem rumo pelas ruas.

ANÚNCIO

Por favor, Não compre, adote!


Gostou da matéria? Compartilhe este artigo. Isso nos ajuda a espalhar bons conteúdos nas redes sociais. Obrigado

Adaptação por Portal do Animal, da matéria originalmente criada por Hypeness