Após donos a abandonarem em lixão, cadelinha doente é adotada e se recupera junto de nova família

ANÚNCIO
ANÚNCIO

Moradores de Praia Grande, no litoral de São Paulo, ficaram indignados no início desta semana com o caso de uma cadelinha que foi abandonada numa montanha de lixo na zona periférica da cidade.

ANÚNCIO

Uma família viu a cachorra chorando e resolveu resgatá-la. Levada até uma clínica veterinária, ela foi diagnosticada com anemia e uma série de doenças oportunistas que precisam ser tratadas de imediato. Após o tratamento, o animal será disponibilizado para adoção.

De acordo com a autônoma Sheyla Vasco, o resgate ocorreu na noite do último domingo (4). A mulher viu que a mãe dela estava voltando para casa, no bairro Anhanguera, quando ouviu gemidos e latidos de um cachorro. Não demorou muito para a mãe de Sheyla encontrar a cadelinha, abandonada num lixão, na Rua Clóvis Batista de Santos.

ANÚNCIO

Leia também: Pit bull passa 9 anos nas ruas esperando o retorno de seu dono, que foi deportado para outro país

“Onde a gente mora tem um local que jogam lixo na rua. Minha mãe passou e viu uma cachorra latindo muito alto, na chuva, no jogada no lixo, bem judiada. Ela pegou um cobertor e trouxe a cachorra para casa”, contou a autônoma.

A cachorra estava bastante fraca e debilitada, mal conseguindo ficar de pé por conta própria. “Nós tentamos dar água, ração, mas ela recusou. Sentia muitas dores, as patinhas estavam inchadas. Ela foi deixada para morrer no lixo, muito desumano. São tão inocentes [animais], iguais a criança”, lamentou.

ANÚNCIO

Estima-se que a cadelinha tenha cerca de 5 anos – ela é da raça pit bull e foi apelidada carinhosamente de Vitória. Segundo Sheyla, casos como esse acontecem com frequência no bairro, inclusive com gatos e filhotes recém-nascidos.

Leia também: Cãozinho idoso com doença de pele rara agora tem ‘vida de rei’ ao ser adotado por veterinária

ANÚNCIO

Apesar da boa vontade da família de Sheyla, eles não tinham condições financeiras de bancar o tratamento veterinário da doguinha. Assim, recorreram às redes sociais em busca de ajuda.

A administradora de empresas aposentada Bernadete Aguilar, que tem vários cães em casa, viu o pedido de ajuda e decidiu agir. “Eu vi no status da rede social, logo entrei em contato com a Sheyla e falei para levar ao veterinário, que de alguma forma daria um jeito de arcar com os custos. Entrei em contato com um petshop aberto e levaram ela”, contou.

De acordo com Bernadete, Vitória está com doença do carrapato e sarna, que ocasionaram seu quadro de anemia. O estado de saúde da cadela, segundo diagnóstico dos veterinários, é grave.

Ela segue hospitalizada e ao longo da semana fará outros exames para saber se está com outras doenças. Todo o tratamento será bancado por Bernadete, que já gastou cerca de R$ 700 (apenas a hospedagem na clínica saiu por R$ 200). Ao lado de Sheyla, ela procura outras pessoas que possam ajudá-las a custear o tratamento da cadela.

“Peço a Deus para salvar a vida da Vitória. Demos esse nome porque se ela sair dessa, é uma vitoriosa. Vamos procurar uma família que a ame porque ela já foi muito maltratada”, concluiu.